Índios denunciam à ONU invasão de terras por fazendeiros em Mato Grosso


Um grupo de índios da etnia Manoki vai denunciar para a Organização das Nações (ONU) invasões constantes de fazendeiros em terras indígenas no norte de Mato Grosso. O dossiê do povo Manaki aponta que 20% da vegetação dos 206 mil hectares da terra já foram destruídos pelos produtores.

Segundo a coordenadora da Operação Amazônica Nativa (Opan), Andreia Sanzeres explica que devido a numeras denúncias realizadas pelos Manaki o órgão conseguiu marcar uma reunião em Brasília com a relatora da ONU, Victoria Tauli-Corpuz. “Os índios estão sofrendo ameaças dos fazendeiros que estão desmatando a área deles. Isso é crime e até agora ninguém fez nada.

Ela vai ser a nossa salvação”, afirma a coordenadora da Opan. A reunião acontece hoje(16), durante o evento Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

De acordo com dados oficiais, mais de 20% da vegetação nos 206 mil hectares da Terra Indígena (TI) Manoki já foram destruídos por fazendeiros que seguem realizando corte raso para cultivar arroz e soja no interior da terra indígena.

Além disso, foram identificados loteamentos, uma serraria em pleno funcionamento e centenas de quilômetros de estradas ilegais para furto de madeira que formam uma enorme “espinha de peixe” e podem ser vistos claramente através de imagens de satélite.

A Secretaria Estado de Meio Ambiente (Sema) registrou 54 inscrições de Cadastro Ambiental Rural (CAR) dentro da TI Manoki, mas avisou que nenhuma será validada.

Tratam-se de fazendas ilegais com a intenção de se regularizar dentro de um território indígena declarado e demarcado, que aguarda desde 2011 a finalização do processo de homologação. “Apesar das inúmeras denúncias que já foram realizadas, pouco foi feito para frear a invasão dos fazendeiros que já conseguiram até instalar uma serraria.

Queremos uma solução rápida para isso”, frisa Andreia.

(Folha do Estado)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui