Individualismo de José Ricardo o tirou da disputa à prefeitura de Manaus

José Ricardo, de estrela de 1ª grandesa a candidato derrotado dentro do seu próprio partido - foto: arquivo/ilustrativa

O individualismo do deputado federal pelo partido dos Trabalhadores (PT) José Ricardo Wendling, tirou a chance de ele disputar as eleições municipais deste ano para a prefeitura de Manaus.

A avaliação é de dirigentes e militantes do PT municipal Manaus, colhida após a reunião dessa quarta feira (27), que escolheu o deputado estadual, Sinésio Campos, pré-candidato da legenda/2020.

José Ricardo pagou o preço do seu auto-isolamento e por acreditar em candidatura nata, sem a obrigatoriedade de passar pelas prévias do partido.

Não foram poucas as vezes que o deputado federal, eleito com quase 200 mil votos, deu entrevistas como já sendo o escolhido, o que é um erro crasso cometido junto à militância e os diretorianos, não importando a capilaridade de votos nas eleições das quais participou.

Votos que não agregam

Mesmo tendo um caminhão de votos em comparação aos demais candidatos do PT, ele não conseguiu transferir, sequer, os votos para eleger um deputado estadual. Os votos do deputado não agregaram em 2018 e nem em eleições anteriores.

“Os votos do Zé, são do Zé, não do PT. A campanha do Zé seria do Zé e não do Partido dos Trabalhadores”, avalia o dirigente municipal e pré-candidato a vereador, T.M. Ele acrescenta que a maioria dos diretorianos estão cansados de embarcar em projetos pessoais e, não se mostram dispostos a contribuir com uma campanha que não seja favorável aos 62 pré-candidatos do partido à Câmara Municipal.

Pelo visto, a proposta do deputado estadual Sinésio Campos deve ser mais favorável aos 62 pré-candidatos, tanto que ele conseguiu derrubar uma muralha, dificilmente imaginada derrotada nesse momento de soerguimento do partido pós-eleições presidenciais de 2018.

Kombi do Praciano*

Ainda na avaliação de dirigentes municipais em Manaus, os votos do deputado José Ricardo é elitizado, ele consegue entrar nas classes A e B, com difícil acesso às classes C e D. Os votos das elites, evidente, não são contabilizados para a conta da maioria dos candidatos a vereador.

E mesmo usando o símbolo ‘Kombi do Praciano’, ainda assim não teve sucesso na classe menos favorecidas, onde está o foco das ações do Partido dos Trabalhadores.

Da mesma forma, os militantes consultados não pretendem ter um vencedor à prefeitura, que se fecha no gabinete para poucos, muitos deles, alheios às causas e propostas conduzidas pela militância. – (*Francisco Praciano, cearense que militou pelo PT do Amazonas, sendo vereador, deputado estadual, deputado federal e quase senador pelo partido, no Estado)

Recorrendo à nacional

Em nota distribuída à imprensa, a tendência ligada ao deputado Federal José Ricardo disse que: “as correntes internas do partido que apoiam a candidatura de José Ricardo devem recorrer à direção nacional do resultado, uma vez que não estão obrigados a seguir a decisão local.

Em resolução, a direção nacional é que deve homologar as candidaturas nas principais cidades no país com reais chances de vitorias no pleito. Segundo a ‘Marketing Pesquisas’ em Manaus, José Ricardo aparece com 11,5% das intenções de votos que representa mais de 139 mil eleitores, enquanto Sinésio reúne apenas 1,5% contabilizando 18 mil votos.

No último pleito de 2018, José Ricardo foi o deputado federal mais votado do Amazonas com mais de 197 mil votos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui