Jacaré nocauteia Brunson no 1º round

O brasileiro sonha com o cinturão/Foto: Divulgação

Se demorou dez lutas para que o Brasil pudesse ter a primeira vitória de 2018, ela ao menos veio em grande estilo. Neste sábado, na luta principal do UFC Charlotte, Ronaldo Jacaré voltou a nocautear Derek Brunson, desta vez com um chute alto que levou o rival à lona em combate que durou 3m50. Após o nocaute técnico, Jacaré se sentou no cage e chorou. Visivelmente emocionado, na cabeça possivelmente passou as imagens do período que passou se recuperando das cirurgias no peito no ano passado.

– Me sinto ótimo. Passei por duas cirurgias, oito meses atrás estava no hospital, minha esposa ia ao hospital todo dia me dar banho. Hoje é meu aniversário de casamento, Larissa, eu te amo! Treinei com caras muito bons na nova academia, somos uma família agora – disse Jacaré, citando as cirurgias e agradecendo aos novos treinadores depois de trocar a X-Gym no Rio de Janeiro pela Flórida, nos Estados Unidos.

Número 3 do ranking peso-médio (até 84kg), Ronaldo Jacaré vinha de derrota para o hoje campeão linear Robert Whittaker. A divisão terá no dia 10 de fevereiro um campeão interino, na luta entre Yoel Romero e Luke Rockhold em Perth, na Austrália. Agora, o brasileiro sonha estar perto da luta pelo cinturão, oportunidade que ainda não teve na organização. O cartel de Ronaldo Jacaré tem agora 25 vitórias e cinco derrotas.

O brasileiro sonha com o cinturão/Foto: Divulgação

A luta

No início do combate, Derek Brunson tentou atacar Jacaré com sequência de jab e direto, mas o brasileiro se defendeu bem e chamou o americano para a luta. Jacaré permaneceu de início trabalhando os chutes, mantendo a distância do adversário.

A luta, que se mostrava tensa, quase foi para o chão num ataque de double leg de Jacaré, que o americano se defendeu. Na sequência, ele tropeçou, mas evitou a queda. Jacaré, então, disparou o golpe fatal. Um chutaço de direita na cabeça derrubou Brunson, e Jacaré caminhou tranquilo para soltar os golpes na cabeça do americano até Dan Miragliotta encerrar o combate. Enfim, o Brasil saía do zero em 2018.

Fonte: COMBATE


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui