Juiz aposentado do TRT do Amazonas julga uma representação contra sindicato

Juiz aposentado compulsoriamente, Eduardo Miranda Barbosa Ribeiro.

Juiz aposentado compulsoriamente, Eduardo Miranda Barbosa Ribeiro.
Juiz aposentado, Eduardo Miranda Barbosa Ribeiro.

Sob força de liminar conseguida no Supremo Tribunal Federal (STF), o juiz aposentado pelo pleno do TRT do Amazonas, Eduardo Miranda Barbosa Ribeiro, julga amanhã (03), às 8:50h, na 105ª Vara do Trabalho, uma representação contra a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Especial (SindEspecial) e de acordo com o advogado, que deu entrada no processo, a decisão será favorável à uma junta governativa formada por ele e, deverá assumir a direção do Sindicato, de imediato.
Essa é a terceira vez, em 2014, que o advogado Amadeu Maués entra com pedido de afastamento da diretoria do Sindicato na vara do juiz Eduardo Miranda. Nas duas primeiras, ele concedeu liminar de afastamento da diretoria do SindEspecial e colocou no seu lugar uma junta governativa. As liminares sempre foram concedidas ao mesmo advogado, Amadeu Maués, sob as mesmas alegações e para os mesmos membros da junta governativa, prova de que estão induzindo o juiz ao erro.
O advogado Amadeu Maués estava hoje (02), anunciando o resultado do julgamento de amanhã. Com todas as letras, ele disse que o juiz, que também é seu colega de farda, “já tem a decisão de amanhã (03) e que ela é favorável à sua junta governativa”, mas, de acordo com a diretoria do SindEspecial, o juiz Eduardo Mirando tem o processo em mãos e saberá conduzir o julgamento com lisura e sabedoria.
Essa é a 5º vez que o presidente William Enock sofre com a tentativa de afastamento da direção do Sindicato. A junta comandada por Amadeu sempre tenta entrar na direção um dia antes do depósito bancário da mensalidade sindical, mas volta dois a três dias depois de ter saído. Dessas, três decisões foram dadas pelo Juiz Eduardo Miranda. Entretanto, Enock disse que a liminar conseguida por Miranda, no STF, não tem nenhum vínculo com o processo impetrado pelo advogado Amadeu Maués e nem com o julgamento a ser realizado nesse dia 03 de dezembro.
O presidente eleito disse que é lamentável que um grupo de profissionais ainda querem entrar na direção do Sindicato, sem a aprovação da categoria, mas que acredita na decisão do Juiz, uma vez que “ela vem acompanhada de diversos fatores não explicáveis”. Contudo, ele está de acordo com a decisão dos trabalhadores, que repudiam a Junta Governativa e a interferência injustificada de advogados nas decisões sindicais.

 

Da esquerda para a direita (em baixo) Eduardo Miranda, com Amadeu Maués ao seu lado, na formatura da Turma do NPOR (Núcleo Prepartório de Oficiais da Reserva) do Exército, 1982.
Da direita para a esquerda (em baixo) Eduardo Miranda, com Amadeu Maués ao seu lado, na formatura da Turma do NPOR (Núcleo Preparatório de Oficiais da Reserva) do Exército, 1982.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui