Mais uma greve está sendo anunciada em Manaus, a do Sindespecial

Trabalhadores dos transportes Especial fazem pressão pelo Passe Livre, na CMM - foto: divulgação

A guerra do passe livre pode gerar paralização nos Transportes Especial e Fretamento (Sindespecial), em Manaus. Liderados pelo presidente do Sindicato da categoria, William Enock, um grupo de motoristas acompanhou a discussão de emergência sobre a retirada do Passe Livre da categoria, na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Eles podem parar a partir do próximo dia 05 de abril.

O Sindespecial não aceitou a decisão do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas – Sinetram, de retirar o passe livre dos trabalhadores do transporte especial e de fretamento sem explicação e sem motivo. Para o presidente William Enock, se tirarem o Passe Livre dos trabalhadores, então que também se reduza a tarifa dos transportes urbanos. “O passe livre está embutido na tarifa”, destaca.

Trabalhadores dos transportes Especial fazem pressão pelo Passe Livre, na CMM – foto: divulgação

A pressão dos trabalhadores por conta da decisão do Sinetram, refletiu no plenário da Câmara Municipal, com o pedido de audiência pública, do vereador Jaildo dos Rodoviários(PCdoB). Colocado para votação, os trabalhadores tiveram 41 votos a favor, Um contra. O pedido para colocar o tema para discussão na casa legislativa partiu do vereador.

Jaildo, que fez a denúncia da tribuna da Casa Legislativa, assegurou que os trabalhadores tiveram o benefício cortado há um mês e que passaram a ter descontados 6% do valor da passagem no contracheque. Esse valor, segundo o vereador chega a um desconto de R$ 140 a 150 na folha de pagamento mensal. “Queremos discutir com os empresários e chegar a um consenso”, disse. A Data da audiência pública ainda será definida.

Reunião no gabinete do Superintendente da SMTU, para intermediar a questão – foto: divulgação

Por sua vez, o superintendente da SMTU, Cel. Franclides Corrêa Ribeiro, resolveu chamar o presidente do Sindespecial William Enock, o vereador Jaildo dos Rodoviários (PCdoB), o presidente do Sinetram, Algacir Gurgacz e a comissão de transportes da CMM para uma discussão na SMTU.

A intenção do superintendente é a de botar “panos quentes” na questão, para evitar a greve que possivelmente acontecerá a partir do próximo dia 05 de abril, quando os empresários costumam descontar 20% na folha de pagamento dos trabalhadores, por conta do Passe Livre.

Trabalhadores prometem paralisar o sistema se não forem atendidos – foto: divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui