Membros de organização criminosa são presos na Zona Sul

As prisões aconteceram durante a operação “Constantinopolis”-Foto: Divulgação / G1

Quatro pessoas foram presas suspeitas de participarem de uma organização criminosa na Zona Sul de Manaus, nesta segunda-feira (19). As prisões aconteceram durante a operação “Constantinopolis”, da Polícia Civil, com o intuito de desarticular a atividade financeira do grupo. Dois dos homens já estavam presos no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat). O líder do grupo dava ordens de dentro da cadeia para executar crimes.

De acordo com o delegado Guilherme Torres, diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), a polícia iniciou investigações, após uma série de mortes na Zona Sul, em 2017. Na ocasião, membros foram identificados e, nesta segunda-feira (19), a operação foi executada.

O líder da organização, identificado como Diego Bruno de Souza, de 30 anos, além de Douglas Campos de Almeida, de 23 anos, cumpre pena no Ipat e foram presos durante a operação. A namorada de Diego, identificada como Deborah Moraes de Carvalho, de 30 anos e Ediomar Pimentel da Silva, de 20 anos também foram presos.

“Diego comandava a organização de dentro do presídio. A mulher ia até o presídio visitar o companheiro. Ela pegava informações, fazia saques de dinheiro, depositava e movimentava. Ela cuidava das finanças do grupo. Toda semana ela fazia a movimentação. Vamos pedir o cancelamento da conta que usavam, além de movimentação de dinheiro em espécie”, disse o delegado Guilherme Torres.

As prisões aconteceram durante a operação “Constantinopolis”-Foto: Divulgação / G1

Segundo Torres, Deborah foi presa na casa em que morava, na rua São Pedro, no bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul. Ela estava com R$ 10 mil em espécie. O valor foi apreendido pela polícia. Ediomar foi preso na casa em que morava, na rua Pastor Júlio Dantas, antiga rua 11, no bairro Nova Cidade.

Ainda conforme o delegado, Douglas e Ediomar eram “soldados” da organização criminosa. “Eles atuavam como cobradores de devedores. Cometiam tráfico, roubo e as atividades criminosas que o grupo exercia”, explicou.

Outros 12 membros da organização criminosa também foram identificados, segundo o delegado. Ele comentou que investigações em torno do caso devem continuar, para que também sejam presos.

O grupo deve responder pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Os homens que já estavam presos no Ipat devem continuar na unidade. A mulher deve ser encaminhada para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF). Ediomar deve ser encaminhado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui