“Hoje eu morreria de vergonha de gritar mito, mito”… disse a ativista Sara Winter

Sara Winter sobre Bolsonaro: "Nunca mais vão me ver gritando – foto: arquivo/recorte

A ativista Sara Winter afirmou que não gritará mais “mito, mito”, em referência ao apelido dado por apoiadores a Jair Bolsonaro. Ela integra o grupo bolsonarista autodenominado “300 do Brasil”.

Sara Winter protagonizou as mais bizarras cenas em manifestações, para defender o “mito” – foto: recorte

“Decidi me aposentar. Nunca mais vocês vão me ver gritando ‘mito’, ‘mito’. Hoje morreria de vergonha de fazer isso”, afirmou ela à Veja. “Fiz tudo aquilo acreditando que havia um movimento para derrubá-lo [Jair Bolsonaro]. Eu me sacrifiquei para defendê-lo e faria tudo de novo, apenas de uma maneira diferente”, complementou.

A bolsonarista foi presa em junho do ano passado durante as investigações sobre um inquérito que investigava atos antidemocráticos – favoráveis ao fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal. Ela foi acusada de violar a Lei de Segurança Nacional.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) defendeu que ela continuava “organizando e captando recursos financeiros” para ações ilegais contra os chefes dos Poderes da República.

Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui