No Amazonas, 97% dos produtores rurais são considerados agricultores

Foto: Divulgação/Idam/Secom

Há exatos 60 anos se criou o Dia do Agricultor no Brasil. É da agricultura que vem o sustento de milhares de famílias e são eles quem leva à mesa dos brasileiros uma alimentação de qualidade e saudável. De acordo com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), autarquia do Governo do Amazonas responsável por atividades de assistência técnica, extensão agropecuária e florestal, 97% dos produtores rurais no estado são considerados agricultores familiares.
Em 2019, o estado encerrou o ano com um total de 42.334 produtores rurais. Deste total, 33.244 são agricultores, 6.395 criadores, 2.012 pescadores e 683 extrativistas. Entre os agricultores familiares, 25.125 são homens, 15.587 mulheres e 707 são jovens. Os dados são do Relatório de Atividades Trimestral (RAT) do Idam.

“Essa categoria de produtores é de fundamental importância para o Amazonas, para o Brasil e para o mundo, pois eles são os responsáveis por colocar a maior parte dos alimentos nas mesas dos consumidores de todo o mundo. A eles, o governador Wilson Lima recomendou ao Idam dedicar especial atenção, com o provimento dos mecanismos de políticas públicas de apoio à produção rural, como a assistência técnica e extensão rural (Ater), o crédito rural, os insumos, a capacitação tecnológica, o processamento da produção e o apoio à comercialização”, detalhou o diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso.

Entre as mais de 15 mil agricultoras no Amazonas está Marli Bonati Garcia, que cultiva maracujá, no município de Manacapuru, na região dos rios Negro e Solimões. Marli veio para o estado junto com sua família há mais de 15 anos. Natural de Pacaembu (SP), chegou a cultivar em Boa Vista (RR), mas foi no Amazonas que as coisas começaram a dar certo.
“Primeiro veio meu pai, e depois eu vim. Hoje está tudo melhor para nós, conseguimos conquistar alguns bens, e nossa área de plantação de maracujá conta com 50 mil pés”, disse.

Já o agricultor familiar, Luiz Gonzaga, de Lábrea, município da região do rio Purus distante 702 quilômetros de Manaus, iniciou suas atividades agrícolas no ano de 1989, quando chegou à localidade. Luiz conta que logo começou a plantar roça e depois fez uma parceria com o Idam local, que deu a ele o auxílio necessário para desenvolver sua atividade e que se tornou uma agricultura familiar sustentável.

No município de Carauari, região do rio Juruá, o agricultor familiar, Raimundo de Oliveira, tem se destacado em suas atividades agrícolas. Atuou por anos como seringueiro, mas migrou para a agricultura familiar quando viu a atividade perder forças.

Na região do Médio Solimões, em Presidente Figueiredo, exatamente, no ramal do Urubuí, Km 08, o agricultor Marcos Valente produz peixe. Ele iniciou a atividade em 2002 e, atualmente, é exemplo para os demais agricultores que desejam investir na atividade.

“Antes de iniciar o trabalho com a criação de peixes, procurei o Idam e fui orientado pelos técnicos sobre como construir um tanque escavado e também qual seria a melhor espécie para cultivar. Hoje, trabalho com quatro tanques para o cultivo do tambaqui e com os plantios de banana, macaxeira, melancia, jerimum e mamão”, disse Marcos, assinalando que com apoio do Idam já financiou cinco projetos de crédito para investimento na criação de peixes e um para aquisição de caminhão.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui