O AI-5 defendido por Eduardo Bolsonaro também deixou vítimas no Amazonas

Bolsonaro já havia dito: “Se o presidente da OAB quisesse saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele”, referindo-se ao período do AI-5 na ditadura militar – foto: arquivo

O militante de esquerda amazonense Thomaz Antônio da Silva Meireles foi torturado e assassinado nos porões da Ditadura, ele foi uma das inúmeras vítimas do desconhecido Ato Institucional nº 5 (AI-5), imposto durante a ditadura militar no Brasil, entre 1964 a 1985.

“Thomazinho”, como era conhecido, era Parintinense, irmão do ex-deputado federal Ubaldino Meireles e marido da jornalista Miriam Malina, com longa atuação na imprensa de Manaus, foi dado como desaparecido no dia 7 de maio de 1974 no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro, quando ia viajar para São Paulo.

Em 2008, a Folha de São Paulo divulgou uma pesquisa do Datafolha mostrando que 82% dos brasileiros acima de 16 anos desconheciam o AI-5 – foto: arquivo

De acordo com a Comissão Nacional da Verdade (CNV) foi sequestrado no aeroporto no Rio de Janeiro, torturado e morto por militares. Seu corpo nunca foi localizado. Tem uma única lembrança e homenagem emprestando seu nome a uma escola estadual no bairro de Petrópolis.

Erasmo Linhares – radialista, poeta, escritor e professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), era uma das vozes mais bonitas do radialismo amazonense. Falecido em 1999, foi preso e torturado nos porões da Ditadura em Manaus. Torturadores atingiram o seu maior dom e talento, a voz ao cortarem suas cordas vocais.

O golpe militar que acabou com a democracia no Brasil completou 50 anos no dia 31 de março de 2014. Durante 21 anos, os militares estiveram no pode – foto: arquivo

Almino Afonso – Foi Ministro do Trabalho do presidente João Goulart , deputado federal, vice-governador de São Paulo, teve mandado de deputado cassado em 1964 durante o Golpe da Ditadura Militar. Viveu exilado durante 12 anos no Uruguai, Chile, Peru e Argentina. Ontem (31), condenou as declarações de Eduardo Bolsonaro.

Gilberto Mestrinho – Era deputado federal quando teve o mandado cassado e os direitos políticos cassado pelo golpe militar de 31 de março de 1964, que depôs Goulart.
Lista – Jornalistas Arlindo Porto, Andrade Neto, Bianor Garcia, Padre Tiago Braz, Arthur VirgÍlio Filho, Bernardo Cabral, também foram atingidos pela ditadura dentre outros.

Documentário Youtube:

Portal Caboco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui