Pesquisa da Perspectiva tenta colocar à força, Eduardo Braga no 2º turno

candidato Eduardo Braga e marqueteiro Durango Duarte - foto: recorte/recuperada

O político enfrenta uma barreira de rejeição muito forte entre os eleitores devido seu discurso sem novidades, baseado no apoio velado do ex-presidente Lula à sua candidatura.

Às véspera das eleições uma pesquisa da Perspectiva, o instituto que pertence ao empresário, Durango Duarte, divulgada neste dia 1º de outubro, aponta o senador e candidato ao Governo do Amazonas, Eduardo Braga (MDB), no 2º turno das eleições para o governo do Amazonas.

Pelas pesquisas de Durango, que é amigo pessoal do candidato, Eduardo teria crescido praticamente 10% em menos de uma semana do pleito, inexplicavelmente, uma vez que ele tem forte rejeição comprovada entre o eleitorado amazonense.

Induzir ao erro

Numa clara tentativa de induzir o eleitor ao erro, a pesquisa de Durango diz que que Eduardo Braga está à frente de Amazonino Mendes (Podemos) e que ele tem crescido na preferência popular e garantindo a vaga para disputar o segundo turno das eleições.

Leia pesquisa: Clique Aqui

O político enfrenta uma barreira de rejeição muito forte entre os eleitores devido seu discurso sem novidades e sua imagem já desgastada, com polêmica de violência, agressões em debates, além do seu nome citado em investigações da Justiça Federal.

Instituto acumula derrotas

A verdade é que por mais que fale com ar de autoridade e até convença os menos atentos, Durango vem acumulando derrotas.

Perdeu em 2014 com Eduardo Braga e 2018 com o senador Omar Aziz, candidato ao governo do Amazonas na época, e vem errando nas pesquisas, tanto que seu instituto já mudou de nome algumas vezes e poucos no meio político levam a sério seus números.

Deve ser por isso que ele afirmou que não irá participar diretamente de nenhuma campanha ano que vem no Amazonas. Vai trabalhar em dois outros estados e tentar replicar seus modus operandi em outras terras.

Perdeu aposta ao Tiradentes

Na derrota de 2014 ele teve que pagar R$ 100 mil ao empresário Ronaldo Tiradentes, dono do instituto DMP, após aposta que os dois fizeram. Na época, Durango era dono do instituto Perspectiva e ao contrário do que diziam as pesquisas realizadas por sua empresa garantindo que não haveria segundo turno, o então governador José Melo foi reeleito em 2º turno derrotando o ex-governador e atual Senador pelo Amazonas, Eduardo Braga (MDB).

O publicitário que naquele pleito assumiu a defesa da candidatura de Braga viu suas afirmações negadas pelas urnas e ainda teve de desembolsar uma grana alta.

Com o AM Post

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui