Projetos de extensão ‘Economia Solidária’, em Fórum Mundial, em PE

Professoras Cristiane Lima e Maria Suely/Foto: Divulgação

Equipe do IFAM que defende o Projeto no Fórum/Foto: Divulgação
Equipe do IFAM que defende o Projeto no Fórum/Foto: Divulgação

O projeto de extensão ‘Economia Solidária – Uma alternativa de autogestão em Comunidades Agrícolas’, das professoras Cristiane Lima e Maria Suely Guimarães, do Campus Manaus Zona Leste (CMZL), está em exposição na Feira de Economia Solidária, atividade do III Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT) que acontece até amanhã, sexta-feira (29), em Olinda – PE.
O projeto é desenvolvido no âmbito do Feirão da Sepror, evento organizado pela Secretaria de Estado de Produção Rural do Amazonas, que acontece periodicamente no CMZL, com o objetivo de oportunizar espaço e visibilidade aos produtores rurais locais.

De acordo com Cristiane Lima, a economia solidária é uma alternativa para a geração de trabalho e inclusão social, integrando todos os envolvidos no processo. “Quem produz, quem vende, quem troca e quem compra. Promove a emacipação e autonomia dos envolvidos, uma vez que tem como princípios a autogestão, a democracia, a solidariedade, a cooperação, o comércio justo e consumo solidário” explicou, ressaltando que esse tipo de atividade tem como perspectiva a construção de um ambiente socialmente justo e sustentável.

Durante a realização do projeto e a partir da aplicação de questionários com os produtores participantes do Feirão da Sepror, constatou-se a presença de grupo de atravessadores, pessoas que não produzem diretamente os produtos, apenas trabalham como revendedores, prejudicando o desenvolvimento da cadeia produtiva da agricultura familiar. “Pretendemos revitalizar e potencializar o feirão, na perspectiva da economia solidária, pois esse tipo de atividade compreende uma variedade de práticas econômicas e sociais organizadas, como cooperativas e redes de cooperação, que visam o desenvolvimento econômico e social, sob a forma de autogestão”, disse. Lima.

Após a identificação dos produtores, as pesquisadoras realizarão junto às comunidades formação pedagógica com conceitos teóricos e práticos da economia autosustentável, elementos necessários para a implementação de um empreendimento solidário.

Produção de balas de frutas

No Campus Tefé, alunos do curso técnico integrado em Administração estão desenvolvendo o projeto ‘Sabores de Tefé’, sob orientação do professor Martinho Barros. O trabalho também está em exposição na Feira de Economia Solidária do III FMEPT, e tem como objetivo de incentivar o relacionamento interpessoal e o empreendimento solidário a partir do trabalho coletivo, propondo a autogestão e a transferência de tecnologia, por meio da produção artesanal de balas e trufas de cupuaçu, castanha, açaí, maracujá e coco.

Segundo Barros, a ideia do projeto é incentivar principalmente o cooperativismo, tendo em vista que será realizada qualificação profissional aos produtores de balas e trufas.

“Queremos promover a inclusão destes arranjos produtivos no turismo local, além de geração e produção de conhecimentos em administração e planejamento regional, objetivando o crescimento econômico para desenvolvimento sustentável da região”, disse, destacando que as temáticas da formação agregarão valor aos produtos, como empreendedorismo, marketing, gestão de contas, cooperativismo e segurança alimentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui