Trânsito em Manaus, vaga para cadeirantes e a fábrica de fazer doidos

Trânsito em Manaus - foto: Mobilize Brasil

Essa semana o advogado Silvio Costa ficou surpreso quando voltou das compras e viu seu carro estacionado em uma vaga para cadeirantes no estacionamento Vip do Amazonas Shopping. Uma cena corriqueira naquele estabelecimento e passaria em branco se o carro não fosse de um perfeccionista da Lei e dos direitos constituídos.

O acontecimento no shopping, no entanto, só ilustra a falta de bom senso e a ausência do respeito às leis do trânsito na capital amazonense. É comum ver motoristas estacionarem em qualquer lugar. Não só nas vagas para idosos, cadeirantes, mas, também, em cima das calçadas, em fila dupla, atravessados no meio da rua.

O Carro Honda, da direita é do doutor Silvio Costa – foto: divulgação

O motorista manauara é mal educado, desinformado e com fortes sintomas de ignorância? Ou, foi projetado para agir como se não precisasse obedecer a lei? Pode até ser que sejam as duas coisas. O certo é que o trânsito manauara mais parece uma fábrica de fazer doidos.

Dirigir em Manaus é um teste para cardíaco. Dirige-se como se estivessem andando de canoa. Fazem conversões (dobram) para a direita e esquerda como se estivessem andando no meio do Rio Negro, sem rumo e sem direção.

Falta pista?

Sobra pista. E não é a Faixa Azul a causadora dos rotineiros engarrafamentos. A maioria dos congestionamentos é causado por motoristas que não sabem dirigir, que andam devagar na pista da esquerda, que não facilitam as ultrapassagens para quem quer andar mais rápido.

Trânsito em Manaus – foto: Mobilize Brasil

Falta educação

Mas, não são só os motoristas os responsáveis pelo caótico trânsito em Manaus. Falta programas educacionais. Falta o poder municipal e Estadual gastar com campanhas de educação no trânsito e não só com viaturas e uniformes para agentes (marronzinhos) multarem no Centro da cidade, no aeroporto e nos estacionamentos dos supermercados.

É comum ver carros ‘top de linha’ nas mãos dos guardas do Manaustrans. Uma Toro da Fiat custa mais de 120 mil reais. Nem a segurança pública do estado (PM e Civil) tem carros chiques como o Manaustrans. Enquanto isso nenhum programa educacional é feito para orientar os desnorteados e mal educados motoristas da capital amazonense.

Andar nas ruas da cidade é preciso coragem, disposição é Fé. A cidade é cheia de gargalos fáceis de resolver. Pistas afuniladas simplesmente porque o cidadão resolve construir em cima das calçadas e pistas e, fica por isso mesmo. Avenidas com três pistas, uma é reservada para os negócios particulares e estacionamento da clientela.

Cones nas ruas

Também é comum ver cones demarcadores do trânsito em frente a qualquer botequim e lojinha sem que os guardas do Manaustrans se preocupem com isso. Porque? O valor da multa não compensa?

Em quase todos os bairros existem ruas que se estreitam por causa das construções de casas e muros e o poder público municipal, quando faz o recapeamento das pistas, só ‘arrodeia’ o imóvel do proprietário invasor.

Mas tente andar com documentação regular, em dias, para ver o tamanho da dificuldade. Tirar uma guia, um documento para regularizar um imóvel ou liberar áreas de estacionamento e outros afins, é um transtorno. Dificultam tudo que podem. A pessoa só falta ficar doida. Mandam voltar umas trezentas vezes. Até parecem que gostam do estado da ilegalidade.

d

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui