6 acontecimentos que farão o dólar passar de R$ 5,00

Acontecimentos que farão o dólar passar de R$ 5,00/Foto: José Luis Gonzales/Reuters

A imprevisibilidade da economia brasileira já não é mais uma surpresa para o investidor. Ficou claro que ela é influenciada por fatores tanto externos quanto internos. De acordo com o Diretor de Câmbio da FB Capital, Fernando Bergallo, há possibilidades que podem abrir dois caminhos para o dólar: de queda e de ascensão; e dentre elas, o (1)segundo turno das eleições é um fator primordial para designar o desempenho da moeda. Segundo ele, o cenário doméstico é o que mais tem contaminado o câmbio nos últimos tempos, e virá a contaminar mais até chegarem as eleições.

“O pior cenário é constituído pela eleição de um candidato absolutamente descompromissado com as políticas de austeridade fiscal, agenda de reformas e que vá repetir os modos da matriz econômica adotada pelo último governo nos últimos anos”, explica Bergallo. “Mais especificamente, com um candidato como (2)Ciro Gomes, ou um possível representante do PT, que possuem uma postura radical e populista”.

Acontecimentos que farão o dólar passar de R$ 5,00/Foto: José Luis Gonzales/Reuters

O Diretor comenta que a percepção negativa do mercado aumenta ainda mais com a possibilidade de um cenário externo desfavorável, como uma prolongação da atual (3)guerra comercial que o governo Trump tem propagado contra o mundo. Além disso, o Banco Central dos Estados Unidos deve continuar a (4)subir a taxa de juro, o que atrai investimentos para o país e retira de mercados emergentes como o Brasil. Bergallo afirma ainda que, o próximo Presidente que não conseguir aprovar as reformas colocará o país em um caos. “A (5)reforma da previdência, que causa um rombo enorme nas contas públicas precisa ser aprovada no primeiro semestre de 2019. Caso o executivo não consiga maioria no legislativo, será um caos do ponto de vista do investidor estrangeiro e terá uma fuga em massa de capital”.

“O pior cenário é constituído pela eleição de um candidato absolutamente descompromissado com as políticas de austeridade fiscal”/Foto: Divulgação

Por último, o diretor de câmbio ressalta que, todos estes fatores jogarão a nota de risco do Brasil para baixo. “Na atual conjuntura, as 3 principais (6)agências de risco já classificam o Brasil negativamente, o que faz com que diversos fundos não possam investir no país. Entretanto, uma piora ainda maior no raiting tiraria ainda mais o fluxo de dinheiro vindo do exterior. Todos os fatores acima somados jogariam o dólar para mais de R$ 5,00”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui