Curiosidades

A picada da mosca que deixa as vítimas em sono profundo

Febre, dores musculares e dores de cabeça são os primeiros sintomas - Foto: Divulgação
Redação I
Escrito por Redação I

Você já ouviu falar na mosca tsé-tsé? Ela é conhecida por transmitir graves doenças, uma das mais perigosas é a Tripanossomíase Humana Africana (THA), popularmente conhecida como doença do sono, que é causada por um parasita. Algumas pessoas falam “picada da mosca”, mas o termo correto é mordida, porque diferente do mosquito que pode inserir sua fina língua diretamente no sangue, a boca da mosca tem minúsculas serrilhas que rompem a pele para poder sugar o sangue.

A mordida de uma mosca tsé-tsé é uma experiência totalmente desagradável e dolorida. Quando a pessoa é ‘mordida’ pela mosca contaminada pela doença do sono e não recebe tratamento adequado, a enfermidade se torna fatal, causando a morte do indivíduo.
Sintomas

Febre, dores musculares e dores de cabeça são os primeiros sintomas. Com o passar dos dias, a infecção avança e cansaço, alteração de personalidade, confusão mental grave e falta de coordenação motora começam a surgir.

A doença é oriunda da África Ocidental, onde há predominância dos casos – cerca de 95% deles. Dois parasitas são causadores da doença do sono: Trypanosoma brucei rhodesiense e T. b. Gambiana, sendo o segundo o mais comum.

Febre, dores musculares e dores de cabeça são os primeiros sintomas – Foto: Divulgação

No inicio do século 20, centenas de milhares de pessoas foram contaminadas pela enfermidade, que hoje já não é considerada tão letal quanto antes pelos cientistas. A Organização Mundial de Saúde espera que a doença seja completamente eliminada até 2020.

Fatores de risco

Populações expostas a áreas rurais e locais de prática de agricultura, criação de gado, pesca e caça estão mais expostas às moscas, logo, mais suscetíveis à doença.

Tratamento

Um novo medicamento, o fexinidazol, pode ser tomado em casa e é capaz de curar todos os estágios da doença em 10 dias, sendo menos invasivo que os tratamentos anteriores.

Fonte: R7

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.