Agentes penitenciários abatem drone que sobrevoava a PCE no Mato Grosso

A Polícia não informou como conseguiu “abater” o drone/Foto: Divulgação

O perigo continua rondando as casas de reclusão (penitenciárias) e de detenção (cadeias públicas) de Mato Grosso. Um veículo aéreo não tripulado, tipo drone, que sobrevoava a Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, cujo aparelho, segundo a Polícia, possivelmente fazia estudos panorâmicos para um possível ataque. O objeto teve que ser “abatido”.

A Polícia não informou como conseguiu “abater” o drone, mas garantiu que não foi preciso usar nenhum tipo de arma de fogo. O policialmente que já estava reforçado no local, ganhou mais um pouco de segurança para evitar ataques, tanto de fora para dentro, como do lado de dentro, pois a maior penitenciária do Estado continua superlotada.

São mais de 2 mil presos em um local onde só comportam, no máximo 700 presos. Atentos, agentes de plantão perceberam a movimentação de um drone na área de segurança da unidade e conseguiram derrubá-lo.

“A rápida ação dos agentes permitiu que o equipamento fosse neutralizado. Toda a equipe está atenta e desenvolvendo suas atividades com muito profissionalismo para garantir o pleno controle do sistema prisional de Mato Grosso”, garantiu o novo secretário de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Benedito de Siqueira Júnior.

A Polícia não informou como conseguiu “abater” o drone/Foto: Divulgação

O titular da Sejudh destacou ainda a integração com a Secretaria de Segurança Pública, que realiza ações preventivas terrestres e aéreas nos perímetros externos e adjacências das principais unidades prisionais ampliando a sensação de segurança dentro e fora dos presídios.

Apesar dos risco de uma grande rebelião, principalmente na PCE, hoje o dia de visita transcorreu em clima de muita tranquilidade. O que movimentou, principalmente a área de segurança do local foi a presença do drone. A Polícia não teve como descobrir que estava dirigindo o veículo à distância.

Fonte: 24HorasNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui