Após massacre de presos e fugas em massa, AM tem mais de 90 foragidos

Foto: Divulgação

Um ano e quatro meses após o massacre que resultou na morte de 56 detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, 58 dos 225 presos que fugiram na ocasião continuam foragidos até a manhã desta quarta-feira (16). Com a fuga em massa registrada no Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 (CDPM 2), nesta semana, a quantidade de presos que abandonaram o cumprimento de pena na capital, saltou para 93.

Em janeiro de 2017, 225 presos fugiram do Compaj e do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), no segundo maior massacre do sistema prisional do Brasil. Um ano, quatro meses e 16 dias depois, continuam foragidos 38 presos do Compaj e 20 do Ipat.

No sábado (12), mais 35 presidiários driblaram a segurança e fugiram do Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 (CDPM 2), na BR-174 (Manaus/Boa Vista). O grupo fugiu por um túnel construído no pavilhão 5.

Dentre os foragidos, estão os considerados como chefes de facção criminosa: Kaio Wuellington Cardoso dos Santos (vulgo Mano Kaio), Johnson Alves Barbosa (vulgo Playboy), Alexandre Alves da Silva (vulgo Cagão) e Enderson Fonseca de Brito (vulgo Buiu).

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que dados dos 93 foragidos foram reapssadas para a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) a fim de que realizem as buscas e devolvam às unidades prisionais os foragidos. Até o momento, nenhum deles foi localizado.

Veja relação dos presos que estão foragidos do CDPM 2:

Massacre

O massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), situado no km 8 da BR-174, em Manaus, teve início no dia 1º e janeiro. Doze agentes carcerários foram mantidos reféns. A rebelião terminou com 225 foragidos e 56 mortes.

De acordo com SSP-AM, os corpos de seis pessoas – ainda não identificadas – foram jogados para fora do presídio, sem as cabeças. A ação durou mais de 17 horas. Depois de oito meses de investigação da Polícia Civil, 210 pessoas foram indiciadas.

Os 35 detentos que conseguiram fugir (Foto: Divulgação/Seap)

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui