Calcinha fio dental: três dicas para usar o modelo

A calcinha fio dental pode ser uma opção confortável - Foto: Dainis Graveris/Unplash

No universo da moda íntima, existe uma peça que instantaneamente remete a sensualidade e ousadia: a calcinha fio dental. O modelo, indicado para noites românticas e para intensificar a confiança da mulher, chegou ao Brasil na década de 1980, como uma evolução do estilo asa-delta, extremamente popular na época.

Deixando a parte traseira do corpo quase sem cobertura, a peça possuí tiras finas para suporte, além de ser estratégica para se utilizar com roupas apertadas – evitando, assim, que a roupa íntima marque sob o tecido.

Porém, apesar da calcinha fio dental ser um corte prático, muito comentado e usado, ainda há pessoas que se sentem inseguras com a peça, seja por achar que pode incomodar ou pelo estilo sensual demais. Entretanto, existem formas de garantir o conforto e o bem-estar, para que mulheres de todos os gostos possam se beneficiar da peça.

Manequim da calcinha fio dental

Diferente do que pode aparentar, utilizar uma calcinha fio dental pode ser uma experiência confortável, uma vez que há menos tecido para atrapalhar. Porém, o primeiro passo para garantir isso é a busca pelo manequim ideal.

Se a mulher optar por um tamanho menor do que o indicado – erro comum no universo de lingerie – a calcinha irá encravar com qualquer movimento do corpo, tornando o seu uso desagradável. Por outro lado, um modelo largo demais ficará frouxo, poderá cair ao longo do dia e não ajudará a moldar a silhueta. Portanto, prestar atenção no tamanho é essencial.

Duas medidas ajudam a definir qual é o tamanho certo de calcinha: cintura natural e quadril. Com os valores em mãos, basta comparar as medidas do corpo com tabelas de tamanhos (P, M, G e GG) disponíveis em e-commerce de lingerie. A dica vale para qualquer modelo de calcinha, independente de ser fio dental.

Qualidade do tecido da lingerie

Outro fator que pode provocar o incômodo em qualquer lingerie é a qualidade do tecido. Quando se trata de calcinha fio dental, o detalhe é ainda mais importante, uma vez que é uma peça que entra em contato com regiões íntimas de maneira mais direta.

Isso significa que o uso de tecidos artificiais nesse modelo pode provocar irritações cutâneas, coceiras e alergias. Portanto, o mais indicado são peças feitas integralmente de algodão – material natural, que permite que a pele respire, evitando o abafamento da região.

Outras indicações são calcinhas fio dental feitas de microfibra. A tecnologia utilizada no tecido permite também a ventilação da área, além de tornar a lingerie mais resistente – o que é um detalhe importante quando se trata do modelo, que pode ser mais delicado do que os outros cortes.

Cortes no material

Por fim, uma outra maneira de potencializar o conforto ao usar uma calcinha fio dental é evitar cortes e detalhes que possam pinicar, provocando coceira ao longo do dia. Nesse caso, uma alternativa estratégica é optar por peças com cortes a laser. Esse estilo específico não possuí costura, o que, por si só, evita incômodos e impede que a calcinha desfie.

Outra questão que merece atenção é a presença de detalhes em renda, comuns em peças mais sensuais. Isso porque se trata de um tecido que, se produzido com material de qualidade inferior, pode prejudicar o bem-estar – mesmo quando a calcinha é feita por cortes estreitos, com a tecnologia do laser.

Portanto, mais uma vez, a qualidade do produto ganha destaque. Rendas mais frágeis, além de estragarem com mais facilidade, têm maior tendência a provocar coceiras e alergias – por isso, é indicado optar por marcas de autoridade no mercado de lingerie.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui