Política

Comissão aprova lei que garante mais segurança às mulheres em bares

Deputada federal Conceição Sampaio (PP-AM)/Foto: Divulgação
Redação I
Escrito por Redação I

O Projeto de Lei (PL) 7.414/2017, que busca aumentar a segurança das mulheres em bares, restaurantes e casas de show, foi aprovado, nesta semana, pela Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados. Ao defender o PL, a relatora do processo, deputada federal Conceição Sampaio (PP-AM), destacou que uma em cada três mulheres, no Brasil, já sofreu algum tipo de violência.

A proposta obriga restaurantes e bares a fixarem painéis com orientações para mulheres em situação de risco. E devem ser colocados nos banheiros femininos e em um local visível de todos os clientes, destacando, principalmente, o “Ligue 180”, que é o telefone central de atendimento à mulher. Para ir ao Senado, o projeto precisa de apenas mais uma aprovação na Comissão de Constituição e Justiça.

“Tivemos, recentemente, o Mapa da Segurança Pública, que mostra que, infelizmente, nós ainda temos um índice crescente de violência contra a mulher. Foi por isso que a Câmara também produziu da Lei do Feminicídio, porque existem mulheres que são mortas simplesmente porque são mulheres”, apontou a deputada.

Deputada federal Conceição Sampaio (PP-AM)/Foto: Divulgação

Estatísticas

Segundo o Atlas da Violência 2017, o Amazonas é o 4° estado do Brasil com maior homicídio de mulheres, trazendo informações de 2005 a 2015. Em relação à taxa de homicídios de mulheres negras, o Amazonas apresentou crescimento de 102,8% em dez anos, saindo de uma média de 3,2 a cada 100 mil habitantes para 6,4.

Conceição lembrou que, em Manaus, o índice de violência contra a mulher aumentou 17,4%, no ano passado, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Entre os tipos de agressões mais frequentes está a ameaça.

Alerta

Para a parlamentar, a criação de mais mecanismos para garantir a segurança da mulher ajuda no alerta aos crimes. “Esse projeto de lei trata da possibilidade de a mulher ir a uma casa de show ou a um bar e se sentir segura, porque, em muitos momentos, a violência contra a mulher acontece em lugares onde ela poderia estar se divertindo. O novo mecanismo previsto no projeto 7.414 deverá combater esse tipo de ameaça”, disse.

A empresária Juliana Karenina espera que a medida ajude a popularizar o serviço “Ligue 180”. “É bem comum, principalmente em shows, os homens já chegarem puxando as mulheres pelo cabelo, sem respeito nenhum. Sem saber se a mulher quer ou não quer, já chegam agarrando ou falam coisas desagradáveis que nos deixam tímidas. Isso é educação e policiamento mesmo. Se você está se sentindo constrangida, tem que chamar a polícia”.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário