Menino de 10 anos é ‘sexualmente imaturo para produzir esperma’, diz médico

Foto: Reprodução

O garoto russo de dez anos que supostamente engravidou uma menina de 13 anos é sexualmente imaturo demais para produzir espermatozóides. Essa é a conclusão do médico que examinou o menino.

Um programa de TV na Rússia levou Ivan e Darya, acompanhados dos pais, ao palco. Os resultados dos exames médicos, no entanto, foram revelados ao público quando eles estavam fora do estúdio.

“Verificamos novamente os resultados do laboratório três vezes, para que não haja nenhum erro. Não pode haver espermatozóides. Ele ainda é criança. Ainda não há testosterona. E apenas para adicionar, ele ainda tem órgãos sexuais infantis”, disse o urologista Evgeny Grekov. “A puberdade não começou. Então, temos muitas perguntas”, continuou o profissional.

Darya, que está grávida de oito semanas, contou que “tudo aconteceu” quando eles estavam sozinhos na casa dele e que a ideia partiu do menino. “Mas eu não me importei. Ele fechou a porta deixando a chave na fechadura, para que sua mãe não pudesse abrir a porta. Foi um pouco assustador, que seria doloroso. Foi só um pouco. Foi um pouco vergonhoso, estávamos escondidos debaixo do cobertor. Eu não achava que aos 10 anos ele pudesse fazer essas coisas … eu pensei que nada iria acontecer”, disse a menina, de 13 anos.

Um psicólogo também ouvido pelo programa disse que quando a adolescente foi perguntada se ela teria se envolvido com mais alguém, ela negou fortemente. “Isso me dá o direito de dizer que ela não teve contato com outros meninos ou homens”, afirmou.

A menina e sua mãe querem ficar com o bebê. Por enquanto, ainda é muito cedo para uma verificação de DNA na criança. “Eu não consigo entender como isso pode ser. Apenas me acorde, eu não posso acreditar”, falou a mãe da menina.

A mãe do garoto está convencida de que está dizendo a verdade. “Acredito no meu filho. Que ele é o pai. Entendo que ele próprio talvez não perceba o que aconteceu”.

O caso, que chocou muitas pessoas na Rússia, vem ganhando repercussão internacional.

Fonte: ContilNet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui