Profissionais da saúde serão os primeiros a receber benefícios das emendas impositivas

Foto: Robervaldo Rocha (Zezinho) – Dircom/CMM

Médicos, enfermeiros e outros profissionais bolsistas serão os primeiros a receber os benefícios do saldo das emendas impositivas, destinadas pelos vereadores ao orçamento do Executivo, no combate ao novo coronavírus. A medida foi anunciada nesta quarta-feira (1º) pelo titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi, durante a Tribuna Popular realizada pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), para atualizar a população dos procedimentos emergenciais tomados pelo poder público em relação à pandemia.

O valor aproximado das emendas impositivas disponibilizadas é de aproximadamente R$ 9 milhões. O recurso começa a ser usado agora em abril, para os bolsistas, como reforço das equipes médicas no atendimento da população.

O presidente da Câmara, Joelson Silva, considerou positiva a iniciativa da Semsa, de priorizar também os técnicos de saúde, que lidam diretamente com o problema. “Esses anjos da vida estão envolvidos de corpo e alma no combate a esse mal. Nada mais justo do que valorizá-los e assisti-los nesse momento”, observou o presidente da CMM.

De acordo com a Semsa, também já estão em andamento todos os processos para uma rápida aquisição e dispensa de licitações para aquisição de Equipamento de Proteção Individual (EPI) – destinado a todos os profissionais da área da Saúde –, além da aquisição de 25 mil testes rápidos. O secretário tem colocado à frente das prioridades, os materiais mais urgentes na aquisição, na sequência de autorização dos recursos.

Projeções

Apesar do empenho de todos os lados, Marcelo Magaldi alertou que as projeções não são nada favoráveis em relação ao controle da doença. Com base em dados estatísticos, ele adiantou que, nos próximos 45 dias, os dados no número de casos vão continuar em ritmo crescente. Após esse período, esse crescimento deverá ficar numa taxa mais baixa, porém, permanecendo assim até 80 dias.

A orientação, neste momento, segundo o secretário, é evitar aglomerações também nos hospitais. A secretaria trabalha para que o Hospital Delphina Aziz fique apenas com atendimento de pacientes com o novo coronavírus, com o restante sendo remanejado para o Hospital Universitário Getúlio Vargas.

Para seguir a determinação do Ministério da Saúde (MS), cuja orientação é atender aos casos mais urgentes, Manaus tem atuado na atenção básica. Nesse sentido, o secretário lembrou que, de imediato e por meio do comitê criado com o governo do estado, realizou-se uma chamada de cadastro reserva para 70 técnicos de enfermagem e 35 enfermeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui