Siqueira diz que Marina não representa o legado de Eduardo Campos

Carlo Siqueira abandonou a campanha de Marina Silva e a acusou de querer mandar no PSB.

Carlo Siqueira abandonou a campanha de Marina Silva e a acusou de querer mandar no PSB.
Carlo Siqueira abandonou a campanha de Marina Silva e a acusou de querer mandar no PSB.

Depois de abandonar a campanha de Marina Silva à Presidência, o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, disse que a nova candidata do partido não representa o legado do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos.
O ex-coordenador da campanha de Campos afirma que há muita diferença política e ideológica entre o socialista e Marina Silva.
— Meu compromisso era com Eduardo Campos e acho que ela não representa o legado dele. Ela está muito longe de representar o legado dele. Segundo Siqueira, Campos era muito diferente de Marina, “política e ideologicamente”.
— Não tenho mágoa nenhuma [de Marina], mas eu acho que quando se está em uma instituição hospedeira, como ela é, tem que se respeitar a instituição, não se pode querer mandar na instituição. Ela que vá mandar na Rede dela.
Siqueira deixou a coordenação da campanha por não ter sido indicado por Marina para continuar no posto. A candidata alega que não fez a indicação porque isso caberia ao PSB.
O “mal entendido”, como definiu a ex-senadora, acontece menos de 24 horas após a chapa do PSB ser oficializada, com Marina para presidente e o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) como vice.
Essa é a segunda baixa da coligação. O presidente do PSL, Luciano Bivar (PSL-PE), disse hoje ao R7 que o partido vai deixar a coligação após a “mudança substancial na cabeça da chapa”. Presidente do PSB garante que não há crise após briga entre Marina e Siqueira
Renata Campos
Siqueira é muito próximo da viúva do ex-governador de Pernambuco, Renata Campos, e afirma que ela não deve saber o que está ocorrendo. De acordo com o ex-coordenador da campanha, ela não concordaria com a candidatura de Marina se soubesse da interferência dela.
— Ela [Renata] é uma mulher inteligente e capaz, vai saber que nós não podemos oferecer o partido a uma candidatura que procede dessa maneira.
Mesmo com as acusações feitas por Siqueira, o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, garante que não há crise entre o partido e a Rede. Amaral qualifica a reação como exagerada, de motivações pessoais, mas diz que compreende Siqueira e que vai mantê-lo na legenda.
(R7 Notícias)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui