Vereador Cordovil tenta passar a “PL da sucata”, denuncia o Sindespecial

Sucateamento dos Transportes de passageiros pode acontecer se Lei for aprovada - foto: divulgação/Especial

Os trabalhadores e empresários do sistema de transporte especial estão denunciando uma certa manobra feita pelo vereador Rosivaldo Cordovil (PTN), que tenta aprovar o Projeto de Lei (PL) nº 137/2020 junto a seus pares, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), para alterar a Lei dos serviços de transportes de passageiros e de fretamento.

Se essa PL for aprovada, praticamente acaba com o prazo de vida útil dos micro-ônibus que fazem transportes de passageiros através das Cooperativas, na Zona Leste de Manaus.

Se essa PL for aprovada, direta ou indiretamente, ela vai atingir o transporte Especial e de Fretamento, que são responsáveis pelo transporte dos trabalhadores para o Distrito Industrial e abrir uma brecha para que as empresas comecem a operar com ônibus velhos nas suas rotas.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Especial e Fretamento (Sindespecial), se a PL for aprovada, tudo quanto for “ônibus sucateado” estará liberado para fazer o transporte de passageiros em Manaus, tanto pelas Cooperativas, quanto pelos transportes Especial. Só destacando, o vereador Rosivaldo Cordovil é o mentor das cooperativas “coopeeventos e copattur”.

Reação do Sindespecial

Para o vice-presidente do Sidespecial, Gabriel Enock, a aprovação da PL é um risco para os trabalhadores e os passageiros, pois vai acabar com a qualidade e a segurança dos transportes de passageiros, de um modo geral.

“Hoje é exigido conforto, um número de assentos adequados, ar condicionado, frota relativamente nova mas, se aprovarem o projeto do Vereador Rosivaldo, as empresas vão querer economizar e deixar a frota envelhecer e sucatear”, antecipou Gabriel.

Da forma como a PL de nº 137/2020 foi elaborada, segundo Gabriel Enock, dá margem para irregularidades e corrupção. Com o projeto aprovado, Rosivaldo estará abrindo uma porta para as “facilidades na vistoria dos veículos feita pelo SMTU”. As cooperativas não terão problema nenhum em vistoriar veículos que já tenham rodado 10,15, 20 anos ou mais. “Se passar, vai ser uma porteira aberta”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui