PT e Movimentos Sociais elaboram propostas para a Amazônia

PT e Movimentos Sociais elaboram propostas para a Amazônia

A 4ª Conferência da Amazônia, realizada nos dias 17 a 19 de maio, na Capital do Acre, Rio Branco, com o objetivo de reunir as forças políticas progressistas da Amazônia, os movimentos sociais organizados e as novas expressões de organizações sociais para retomar o papel protagonista em um projeto alternativo de vida sustentável na região.

O evento, que reuniu delegações dos estados do Norte, é promovido pelo Partido dos Trabalhadores, pela Fundação Perseu Abramo, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), a União Nacional dos Estudantes, a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), pelo Comitê Chico Mendes, o Grupo de Trabalho Amazônico e o Conselho Nacional dos Seringueiros.

Cerca de 500 pessoas estiveram presentes na Conferência em Rio Branco. Lideranças políticas, dos movimentos sociais e as forças políticas progressistas da Região Norte organizadas e as novas expressões de organizações sociais para retomar o papel protagonista em um projeto alternativo de vida sustentável na Amazônia.

Cerca de 500 pessoas estiveram presentes na Conferência em Rio Branco/Foto: Divulgação

Entre as lideranças presentes, estavam também o governador do Acre Tião Viana, o ex-ministro e vice-presidente do PT Luiz Dulci, o presidente da Fundação Perseu Abramo, Joaquim Soriano, os senadores Jorge Viana (AC) ePaulo Rocha (PA), o ex-prefeito de Rio Branco Marcus Alexandre, a prefeita Socorro Neri, ex- senador João Pedro, entre outros.

Estiveram presente a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, e o coordenador do Plano Lula de Governo, Fernando Haddad, reforçaram a importância de candidatura do ex-presidente para barrar os retrocessos impostos pelo governo ilegítimo de Michel Temer desde o golpe de 2016.

Programa de Governo e Amazônia

A presidenta nacional do PT parabenizou a iniciativa popular e lembrou que as propostas apresentadas farão parte do programa de governo petista, que será apresentado junto com a candidatura de Lula à Presidência da República.

“Tudo que for discutido aqui servirá como base para a elaboração do programa de governo que nós apresentaremos para o povo brasileiro junto com a candidatura de Lula. O ex-presidente foi um dos que mais destinou recursos para os estados dessa região porque ele sabe que essa parte do Brasil também precisa se desenvolver”, afirmou.

4ª Conferência da Amazônia, foi realizada, na Capital do Acre, Rio Branco

Durante o encontro que tiveram com Lula na quinta-feira (17), Fernando Haddad e Gleisi Hoffmann aproveitaram para debater com o ex-presidente novas diretrizes do plano de governo que pretende devolver o Brasil ao povo brasileiro após a série de ataques democráticos impostos desde o golpe de 2016.

“O que Lula deixou para mim foram diretrizes que ele imagina ser a arquitetura do seu terceiro mandato. Ele me deixou uma série de solicitações. Agora temos uma derradeira etapa para a validação das estancias partidárias e a consolidação do Plano Lula de Governo”, explicou Haddad.

Sobre as condições do ex-presidente, mantido como preso político desde o dia 7 de abril, Haddad foi enfático: “O Lula está em forma tanto intelectual quanto física para este embate. Ele sabe que o que está em jogo é o futuro do Brasil”.

Candidatura de Lula

Quando perguntada sobre como tem sido os encontros com Lula na sede da Polícia Federal, Gleisi voltou a tranquilizar os seus milhões de admiradores. “O Lula é uma fortaleza. Ele tem muita noção do que representa para o Brasil. Ofereceram asilo e embaixadas. Ele poderia ter ido para o Uruguai e pedido asilo quando esteve na fronteira. Mas ele preferiu ficar com o povo!”

“Após 40 dias preso, Lula continua na liderança nas pesquisas de intenção de voto. Não tem ninguém que preencha a esperança do povo brasileiro. Aliás, só aumenta a empatia do povo pelo ex-presidente Lula. As pessoas sabem que é uma sacanagem o que estão fazendo com ele”, argumenta Gleisi.“A nossa definição é que vamos registrar a candidatura de Lula e lançar mão de todos as possibilidades jurídicas para viabilizá-la. Mais uma vez repito: agora não existe plano B. Existe plano Lula”, argumentou Gleisi.

As pessoas sabem que é uma sacanagem o que estão fazendo com ele”, argumenta Gleisi/Foto: Divulgação

“Lula está seguro de que a candidatura será registrada. Sabemos que é um processo que envolve muitos poderosos. Isso envolve também a soberania popular. Temos que evitar mais um tapetão”, ressaltou Haddad no evento, que terminou com o belo ato Lula Livre Amazônia em frente ao Palácio do Governo.

Ao final da 4ª Conferência da Amazônia foi lançada a Carta de Rio Branco, documento onde constarão as diretrizes para um plano de governo da esquerda para a Amazônia, primando por políticas sociais, culturais e ambientais – bandeiras históricas de luta da esquerda brasileira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui