A 3ª edição da Corrida Zé Gotinha, e deve reunir cerca de 800 pessoas

Foto: Mauro Neto/Sejel

Com intuito social e de qualidade de vida, acontece nesta quinta-feira, dia 15, a terceira edição da ‘Corrida Zé Gotinha na Floresta’, que será realizada no Círculo Militar de Manaus (Cirmman), localizado na Av. Agulhas Negras, 571 – Chapada, a partir das 7h. A competição será mista com o percurso de 7km, sendo 2km na pista e 5 km na trilha dentro da floresta. O evento deve reunir cerca de 800 participantes e conta com apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Quem desejar participar, deve ficar atento às inscrições que estão abertas e podem ser feitas no Cirmman, das 14h às 19h, pelo telefone (92) 99204-5521. O valor da inscrição é de R$ 50 mais 2 kg de alimento não perecível, que nesta etapa será doado para as famílias dos ribeirinhos atingidos pela cheia do Rio Negro e para famílias de pessoas com câncer. Durante as entregas dos kits da corrida, nos dias 13 e 14 de junho, no Cirmman, a matrícula também poderá ser efetuada.

“Nossa meta é ultrapassar o resultado alcançado no ano passado, quando foi arrecadado mais de meia tonelada de leite e fraldas, doados para instituições filantrópicas de Manaus. Este ano, na mínima das expectativas, esperamos receber cerca de oitocentos quilos de alimentos”, comentou o organizador da corrida e funcionário público, Sérgio Silva, o Zé Gotinha.

A prova não é dividida por categorias, qualquer pessoa, de todas idades, pode participar, mediante a aquisição da camisa no ato da inscrição. Ao fim da corrida, serão realizados sorteios de brindes. Além disso, todos os participantes receberão troféu.

Foto: Mauro Neto/Sejel

“O que nós queremos com esse evento é fazer com que as pessoas pensem sobre o assunto e se mobilizem para doar sangue, tanto que na primeira edição da corrida foi criado o grupo Atletas Doadores, que hoje está completando dois anos de existência, então isso prova que essa ação tem dado certo”, declarou Zé Gotinha.

Surgimento da Corrida

A corrida foi criada com objetivo de conscientizar a população para o ato de doar sangue. Segundo Sérgio Silva, a ideia tomou força quando ele passou a trabalhar no Hemoam (Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas). Na ocasião, o funcionário atuava diretamente com crianças e via a necessidade de criar algo que ajudasse os pequenos. No entanto, só após a esposa de Zé Gotinha ser diagnosticada com câncer no intestino que a ideia saiu do papel.

“As pessoas só passam a ver e entender a importância da doação de sangue depois que vive uma situação como essa, por isso, estou promovendo a corrida, pois sei que quanto mais as pessoas souberem da necessidade e da dificuldade enfrentada pelos doentes, mais elas se sensibilizarão e começarão a ajudar mais ao próximo”, comentou Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui