Caravana da Cidadania atinge mais de 61 mil alunos na Zona Leste

Implantação da Caravana na Zona Leste/Foto: Divulgação
Implantação da Caravana na Zona Leste/Foto: Divulgação
Implantação da Caravana na Zona Leste/Foto: Divulgação
Cerimônia de abertura da Caravana,  no Jorge Teixera/Foto: Divulgação
Cerimônia de abertura da Caravana, no Jorge Teixeira/Foto: Divulgação

O programa Caravana da Cidadania nas Escolas e Comunidades iniciou, ontem, sexta-feira (23), as atividades na zona mais populosa de Manaus, a Leste, com quase 500 mil habitantes. Nesta fase, a segunda do programa, 61 mil alunos, de 60 escolas públicas municipais e estaduais, serão atendidos durante seis meses.

Criado e coordenado pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o programa foi lançado em solenidade no Centro de Ensino de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa Freire, no bairro Jorge Teixeira. A proposta é levar atividades educativas, de cidadania, desportivas e de lazer. Ao final da atuação, as escolas que se destacaram são premiadas. Na zona Sul, empresas parceiras, como a Moto Honda, doou até motocicleta para sortear entre as escolas.

O secretário de Segurança Pública, coronel PM Paulo Roberto Vital, disse que o programa atua preventivamente contra os problemas que podem vir a perturbar o ambiente das escolas e comunidades. Segundo ele, o assédio dos traficantes de drogas tentando aliciar os alunos para o consumo e tráfico é o principal problema a enfrentar.

“Temos um forte apoio de toda à comunidade, envolvendo gestores, professores, comunitários, pais e alunos. Por meio de palestras, abordamos e orientamos para temas comuns e importantes para todos, como as leis da criança e adolescente e Maria da Penha”, disse.

Vital destaca ainda que o Caravana também tem caráter repressivo. “Nossos policiais estarão acompanhando as ocorrências policiais na área de atuação. Na iminência de qualquer alteração, eles entram em ação imediatamente. Isso deu muito resultado na zona Sul e queremos repetir o sucesso aqui na zona Leste também”, disse.

Para o coordenador-geral do programa e secretário-adjunto da SSP-AM, delegado Francisco Sobrinho, na zona Sul o programa causou forte impacto na comunidade, tirando jovens da criminalidade e evitando seu envolvimento com o crime. “Atingimos mais de 21 mil alunos em 35 escolas. Durante as ações preventivas e repressivas, 62 pessoas foram presas suspeitas de aliciar crianças e adolescentes para consumo e o tráfico de drogas”, afirmou.

Sobrinho destacou ainda que por meio do programa, o órgão tem cumprido seu papel de atuar na prevenção da violência. “Com essas ações e debates sobre a violência dentro das escolas, estamos conscientizando esses jovens sobre os crimes que eles podem ser aliciados. Também estamos melhorando o ambiente escolar para os professores, que em algumas vezes se sentem ameaçados pela violência”, afirmou Sobrinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui