Coronavírus não deve afetar a agricultura

Alimentos que irão para a mesa da população não serão atingidos pelo Coronavírus/Foto: Divulgação

Com a pandemia decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o recomendado é ficar em casa nos próximos 15 dias, pelo menos, realizando um processo de quarentena. Com isso, diversos comércios estão fechados em algumas das cidades mais afetadas, como São Paulo e Rio de Janeiro.
Alguns setores da economia, no entanto, passarão ilesos pelo surto, já que são essenciais, como a agricultura e a indústria de medicamentos. De acordo com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, o país não sofrerá com desabastecimento de alimentos no mercado, já que a agropecuária segue o plantio e cultivo dos alimentos normalmente.
“O Brasil é um grande celeiro, produtor de alimentos, e não precisamos ter nenhuma expectativa negativa de que não teremos alimentos para nosso povo”, afirmou, referindo-se às mudanças na rotina dos brasileiros impostas pela pandemia do coronavírus.
Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), não há razão para a preocupação com o desabastecimento. Isso porque as atividades seguem normalmente. “Outros setores da economia já estão sendo afetados pela epidemia. Mas nós, no campo, não. Os brasileiros podem ficar tranquilos, pois vamos fazer a nossa parte para manter a economia aquecida”, explicou ele.
A safra de 2020-2021 deve chegar a 251,9 milhões de toneladas. Isso representa um aumento de 4,1% em relação à produção de 2019-2020.
Precauções
O setor também tem adotado medidas de prevenção do contágio. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) recomendou que reuniões presenciais internas e externas deveriam ser canceladas ou adiadas. Foi o que aconteceu com os eventos Encontro de Dirigentes Sindicais, Lideranças e Produtores Rurais e Conexão Agro Jovem, por exemplo.
Assim, desta forma, nos cargos em que há a possibilidade de trabalho remoto, os trabalhadores estão sendo liberados para tal atividade. No entanto, os cidadãos que desempenham trabalhos presenciais nas lavouras e nos campos seguem suas atividades.
A recomendação é a mesma. Lavar as mãos com água e sabão por mais de 20 segundos sempre que possível e, em caso de impossibilidade, higienizá-las com álcool em gel. Os equipamentos de trabalho como bomba d’água, irrigadores e demais materiais podem ser limpos de tempos em tempos, já que os trabalhadores utilizam luvas em muitos casos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui