Depoimento na PF vira motivo de aproximação entre Braga e Omar

Os senadores correm o risco de ficar inelegíveis caso seja comprovado o recebimento de propinas.

O processo corre em segredo de Justiça e, por conta disso, quase passou despercebido da grande mídia. Mas, vazou a informação de que o senador Omar Aziz (PSD-AM) prestou mesmo depoimento na Polícia Federal, em Brasília, na semana passada. Ele está dentro de um dos processos da “Operação Lava jato”.

Assim como Omar Aziz, quem estava convocado a prestar depoimento na PF na mesma semana, nas investigações da Operação Lava Jato, seria o senador e ex-ministro de Minas Energia Eduardo Braga (PMDB-AM), mas ele “inventou” uma desculpa e conseguiu o adiamento do seu depoimento.

Os senadores correm o risco de ficar inelegíveis caso seja comprovado o recebimento de propinas.

De acordo com fontes na capital federal, o depoimento de Omar na PF foi longo. Ele teria respondido sobre as graves denúncia de recebimento de propina da empreiteira Andrade Gutierrez durante a construção da Arena da Amazônia.

Da mesma forma, Eduardo Braga deve prestar depoimento ainda essa semana ou, no mais tardar, na próxima. O senador será questionado (igual a Omar) sobre o recebimento de propina da empreiteira, equivalente ao repasse de verbas para as obras de construção da Arena da Amazônia.

Fontes asseguram que a esperteza de Eduardo Braga prevaleceu, até para livrá-lo da primeira intimação, mas não deve escapar da próxima. No entanto, o senador vem se aproveitando do momento complicado para tirar proveito da situação, pensando nas eleições de 2018.

Segundo interlocutores, Braga vem tentando se aproximar de Omar justamente para “vender a ideia” de que tem uma carta na manga, como solução que poderia livrar os dois do processo e das denúncias no Lava Jato da Polícia Federal. Braga estaria negociando apoio na justiça federal em troca de apoio nas eleições 2018.

De acordo com fontes ao Correio, Braga diz gozar de alto prestígio em Brasília, tanto que pode livrar Omar e ele próprio das graves denúncias que pesam sobre os dois. O compromisso, seria Omar apoiá-lo na campanha eleitoral do ano que vem para o governo do Amazonas. Dizem que Omar está “balançando”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui