Financiamento do governo não resolve o problema do empresário

Foto: Reprodução

O governo Bolsonaro com boa vontade de tentar ajudar os empregados nesse momento de crise, criou uma linha de crédito emergencial para ajudar pequenas e médias empresas a quitar a folha de pagamentos em até dois meses.

Mas parece que todos esqueceram de um pequeno detalhe, quem vai ajudar o empresário?

Afinal o empresário terá que pagar o devido empréstimo para quitar a folha, mais agua, luz, impostos, juros bancários, e para fechar com chave de ouro, o sustento de sua família, com qual lucro nesse período?

O setor está entre os mais afetados pela crise gerada pela pandemia de covid-19.

O crédito será destinado a empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil a R$ 10 milhões.

O limite de financiamento é de dois salários mínimos. Ou seja, se o trabalhador ganha mais de dois salários mínimos, a empresa terá que complementar o salário, chupa que é de uva.

Ao contratar o crédito, a empresa assume o compromisso de que não demitir o funcionário nesse período de dois meses, e se lascar sem lucro nesse período.

“A empresa fecha o contrato, e o dinheiro vai direto para o funcionário. Ou seja, a empresa fica só com a dívida”, disse Campos Neto.

A estimativa é de liberação de R$ 40 bilhões.

Texto: Ronaldo Aleixo – Diretor do Portal Chumbo Grosso

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui