Intercâmbio entre Amazonas, Acre e Roraima pode fortalecer o setor primário

Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (16), a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) realizou o primeiro dia da Programação Intercâmbio Amazonas/Acre/Roraima (AMACRR). Participaram os gestores da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do estado de Roraima (Seapa-RR), da Secretaria de Estado de Produção Agronegócio do Acre (Sepa-AC), e da Agência de Fomento do Estado de Roraima (AFERR).

A programação iniciou com uma reunião com as vinculadas do Sistema Sepror (Idam, Adaf e ADS) e seguiu para visita à Fazenda Santa Rosa, no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), para apresentar o potencial econômico do local dentro do estado do Amazonas.

Durante a visita, foi possível conhecer os novos projetos da fazenda de integrar a natureza com a população urbana, a partir da educação para o saber rural, desde o plantio de mudas de plantas, a importância do homem do campo para o desenvolvimento do setor primário, até aulas práticas sobre a rotina e os cuidados com os animais, a piscicultura, e demais atividades que a Fazenda Santa Rosa desenvolve há 30 anos.

Ainda no município, a programação seguiu para uma visita à logística da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), para a entrega de aproximadamente 4.050 kits natalinos de produtos da agricultura familiar para 19 instituições cadastradas no sistema do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS).

Em seguida, os secretários foram à Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) para conhecer os programas Pro-Calcário, Pro-Mecanização e o Programa de Sementes e Mudas.

O secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, ressaltou o intercâmbio como uma rica oportunidade de integração e troca de experiências entre os três estados.

“Fazemos parte do mesmo bioma amazônico, temos dificuldades bastante similares e também potencialidades, além de sermos os verdadeiros conhecedores dos desafios do produtor rural, do extrativista, do pescador. Somos nós que temos as melhores soluções para os problemas do setor primário, e essa integração facilita para que possamos nos fortalecer e superarmos juntos os desafios”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui