Pará proíbe uso de animais em testes de cosméticos


O uso de animais em teste sempre foi alvo de diversas críticas e protestos por entidades ligadas aos direitos do animais. Mas, agora, os defensores paraenses dos bichos ganharam um motivo para comemorar.

Um decreto publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (13) proíbe o uso de animais em experimentos e testes de cosméticos e produtos de higiene em todo o Estado.

Com a publicação, fica proibido o uso de animais em testes de produtos como cremes, loções, perfumes, óleos corporais, shampoos, maquiagem, sabonetes e tintas para cabelo. De acordo com o decreto, ainda será determinada a penalidade para quem transgredir a lei.

A decisão agradou quem atua na defesa dos animais, mas não escapou de críticas. “A gente sempre visualiza um futuro melhor para os animais, e isso é algo que queríamos há um tempo. Isso é um avanço, mas ainda é parcial”, afirmou Nívea Campos, voluntária da Associação em Defesa e Proteção dos Animais (Adespa). “A lei ficou restrita aos cosméticos. Ainda vão continuar usando animais para testes de remédios e outras coisas”.

Ela ainda afirmou que o decreto “não é o suficiente” se a lei não for devidamente cumprida. “O grande problema é a fiscalização. São muito falhos. O projeto “Carroceiro” não vingou, por exemplo. Ainda vemos muitas carroças com animais doentes em Belém. A lei tem que ser cumprida”, continuou.

“Ainda é algo positivo, que vai dar mais combustível para que continuemos na luta pelos direitos dos animais”, conclui Nívea.

(DOL)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui