Preguiça-real é resgatada por equipes da Amazonas Energia, em Balbina

Preguiça-real na rede de distribuição/Foto: Divulgação

Preguiça-real na rede de distribuição/Foto: Divulgação
Preguiça-real na rede de distribuição/Foto: Divulgação
Preguiça resgatada/Foto: Divulgação
Preguiça resgatada/Foto: Divulgação

Na última sexta-feira (16), equipes da manutenção elétrica da Eletrobras Amazonas Energia, lotadas na Vila de Balbina, localizaram uma preguiça-real (Choloepus didactylus) que transitava pela rede de distribuição de energia elétrica, em 13.800 volts que atende àquele Distrito.

Em uma ação rápida e graças ao empenho das equipes de manutenção e elétrica que, seguindo as orientações e com equipamentos fornecidos pelo Departamento de Meio Ambiente da Usina Hidrelétrica de Balbina (UHE Balbina), conseguiram salvar o animal e devolvê-lo à natureza, totalmente ileso.

O resgate contou ainda com o apoio das equipes de operação da hidrelétrica que não mediram esforços para preservar a vida do animal. A operação durou aproximadamente duas horas e todo o trabalho foi feito com equipes de ‘linha viva’ – especializada em executar manobras sem a necessidade de interrupção de energia.

A ação mostrou, mais uma vez, que as equipes de Balbina estão unidas com o mesmo objetivo: preservar o meio ambiente e proteger a fauna e a flora da região.

O bicho preguiça resgatado tratava-se de um animal jovem, com cerca de 50 cm. A preguiça-real adulta chega a 85 cm de altura e atinge um peso de seis a nove quilos. A pelagem apresenta uma cor castanho-acinzentado e pode ter uma aparência ligeiramente esverdeada, dependendo da luz. O animal permanece quase toda a sua vida na copa das árvores das florestas tropicais úmidas. Ela se alimenta apenas de plantas, frutas e raízes. O maior predador da preguiça-real é o homem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui