Projetos vão investir 650 milhões em fabricação de celulares no Polo Industrial de Manaus

Reunião do Codam, em Manaus/Foto: Nathalie Brasil

Reunião do Codam, em Manaus/Foto: Nathalie Brasil
Reunião do Codam, em Manaus/Foto: Nathalie Brasil

A pauta da 252ª reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam), realizada ontem (29), no auditório da Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), com recursos estimados em R$ 1,5 bilhão, foi aprovada com exceção de um projeto, o da Vimed Indústria e Comércio para a fabricação de gaze, orçado em R$ 270 mil.

Os destaques da pauta foram os projetos para a fabricação de telefone celular e telejogos da Masa, no valor de R$ 253 milhões com promessa de criação de 768 vagas no mercado de trabalho, e o da TecMobile, que pretende investir cerca de R$ 400 milhões para produzir telefone celular com a força de trabalho de 327 colaboradores. Para tirar telejogos e receptores de sinal de televisão via satélites das linhas de produção, a Fletronic aprovou projeto no valor der R$ 125 milhões e 755 postos de trabalho.

Um segmento emergente, o de medicamentos, ganhou mais relevo com o projeto aprovado pela Med Goldman Indústria e Comércio para a industrialização de agulhas, tubos e descartáveis para uso médico com investimentos de R$ 76 milhões e 172 empregos.

Na devolução de projetos com pedidos de vistas, o único rejeitado foi da Fort Indústria e Comércio de Cimentos por não atender, segundo o conselheiro Thomaz Nogueira, aos requisitos da lei. Os projetos da Placas da Amazônia e da A M Química Indústria e Comércio tiveram pareceres favoráveis.

Conselheiros prestam solidariedade ao superintendente – Manifestações de solidariedade ao superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, que anunciou seu desligamento da autarquia no início desta semana, dominaram as discussões na 252ª reunião do Codam.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, disse que o Estado não podia “abrir mão do Thomaz, o qual teve papel estratégico na aprovação da prorrogação da ZFM por mais 50 anos”, lembrou o empresário, ao pedir que o superintendente demissionário reavaliasse a decisão de deixar a Suframa.

O presidente do Centro das Indústrias do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, afirmou que Thomaz Nogueira vem conduzindo a atuação da Suframa de modo exemplar apesar das condições adversas. O secretário de Estado de Fazenda do Amazonas, Afonso Lobo, também pediu que o superintendente reconsiderasse a sua decisão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui