Adaf fiscaliza estabelecimentos de produtos agropecuários

Foto: Reyzon Almeida/Sepror

Um grupo de oito novos fiscais agropecuários engenheiros agrônomos da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) participou de sua primeira atividade prática de fiscalização na manhã desta sexta-feira (10/07), em dois estabelecimentos de revenda de produtos agropecuários, na avenida Torquato Tapajós, zona norte de Manaus.

Os servidores verificaram in loco itens como validade e acondicionamento dos produtos. Os novos fiscais reforçam a equipe de fiscalização da Adaf, fortalecendo a inspeção sobre a qualidade dos produtos oferecidos aos consumidores.

A fiscalização foi conduzida pelas fiscais agropecuárias engenheiras agrônomas Cristiane Klehm e Bárbara Brandão. “São verificadas as informações nas embalagens, como número de lote, registro no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), validade do produto, assim como a disposição dos produtos nas prateleiras e no depósito do estabelecimento, se tem embalagem violada ou com vazamento, entre outros”, explicou Bárbara.

Os fiscais também observaram se as empresas são registradas na Adaf, o que é uma obrigação legal, e se dispõem de um responsável técnico, que pode ser um engenheiro agrônomo ou um técnico de agropecuária.

Foto: Reyzon Almeida/Sepror

Como de praxe, a equipe de fiscalização verificou, ainda, os receituários e notas fiscais dos estabelecimentos, para conferir se os agrotóxicos estão sendo vendidos mediante receita agronômica, como é legalmente exigido. Atualmente, existem 563 agrotóxicos cadastrados na agência.

“São produtos tóxicos, que necessitam de muito cuidado nesse controle de venda. Eles só podem ser vendidos mediante uma receita agronômica, emitida por um profissional habilitado, que faz uma inspeção na propriedade, constata o problema na cultura e emite um receituário agronômico constando as orientações para a aplicação do agrotóxico”, destacou Bárbara.

Foto: Reyzon Almeida/Sepror

Não foram constatadas irregularidades nos estabelecimentos fiscalizados nesta sexta-feira. Para a recém-empossada fiscal agropecuária engenheira, Maria Luiza Grigio, que vai atuar na unidade da Adaf em Presidente Figueiredo, o treinamento em serviço foi um momento de se familiarizar com a rotina da agência e sanar dúvidas.

“É extremamente importante a gente ter a parte teórica e viver na prática, saber o que realmente vamos fazer, como agir, o que é certo, o que é errado. Pudemos tirar as dúvidas e diminuir a possibilidade de erro”, observou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui