Elementos que atearam fogo em helicóptero do IBAMA, são presos

Foto: Divulgação

MANAUS – A Polícia Federal deflagrou, no início da tarde desta quarta-feira (02), a Operação Acauã com o objetivo de apurar os crimes de incêndio, dano qualificado e associação criminosa, que acarretaram na destruição total e parcial de dois helicópteros a serviço do Ibama.

Foram cumpridos um mandado de prisão e outro de busca e apreensão, ambos em Goiânia/GO, onde foi preso o suspeito de mandar incendiar os helicópteros do Ibama no dia 24/01/2022 em um Aeródromo de Manaus/AM.

Com a prisão desta quarta-feira, seis pessoas foram presas por envolvimento nestes crimes. Na última semana a Polícia Federal, agindo em sigilo para salvaguardar o resultado das investigações, já havia identificado e custodiado outros cinco envolvidos.

O motorista, suspeito de ter levado e retirado os executores da cena do crime, dois suspeitos de incendiar as aeronaves e dois suspeitos de intermediar o agenciamento dos executores e repassar o pagamento pelos crimes.

Após a confissão, três envolvidos reconheceram o suposto autor intelectual do crime, apontado como envolvido em atividades de garimpo ilegal em Roraima/RR, e alvo das medidas cumpridas nesta quarta-feira em Goiânia.

Segundo a investigação, a ação criminosa teria como motivo principal frear as ações de fiscalização e repressão ao garimpo ilegal desenvolvidas no Estado de Roraima no ano de 2021, sendo o ato criminoso uma represália às operações conjuntas feitas pela Polícia Federal e Ibama, e que contaram com o emprego direto das aeronaves objeto dos crimes.

Operação Acauã Acauã é um falcão que possui grande habilidade para caça e mantém em seu hábito alimentar o gosto por serpentes, inclusive, pelas espécies venenosas como a jararaca e a coral, ajudando no controle da população de serpentes no espaço ribeirinho. No folclore amazonense, diz-se que os gritos do Acauã prenunciam a chegada de forasteiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui