Candidatura de Praciano está sob a avaliação da Direção Nacional do PT


Secretário de organização Jorge Coelho em primeiro plano e o presidente do PT Estadual Valdemir Santana na cabeceira da mesa.
Secretário de organização Jorge Coelho em primeiro plano, o presidente do PT Estadual Valdemir Santana na cabeceira da mesa e Praciano ao fundo.

O deputado federal Francisco Praciano (PT) pode até ser o candidato ao Senado na chapa majoritária do candidato ao governo Eduardo Braga (PMDB), mas, para isso, terá que conseguir a benção da cúpula nacional do PT, que já deu mostras de descontentamento com o lançamento da sua candidatura no Amazonas.
No início da tarde desse dia 30, poucas horas antes da Convenção do PMDB, o secretário de organização do Partido dos Trabalhadores, Jorge Coelho se reuniu com a direção estadual da legenda, para “colher informações” e fazer para a direção nacional uma avaliação do processo político estadual.
Coelho disse em entrevista, que a direção do partido tem a prerrogativa de homologar ou não as candidaturas em todos os níveis. O Amazonas não é diferente dos demais estados. Daí a necessidade de uma avaliação para saber se “cabe” o lançamento de uma candidatura ao Senado, pelo PT do Amazonas.
O que mais tem pesado na decisão do PT nacional é o apoio à presidente Dilma Rousseff. Os dois maiores palanques montados no Amazonas, segundo Jorge Coelho, confirmam esse apoio à presidente, mas com uma candidatura petista ao Senado, quando já havia um acordo com o PSD de Omar Aziz e com o PROS de José Melo, o risco de um desses palanques apoiar a oposição fica ainda maior.
Por falta de tempo hábil, a candidatura do deputado Praciano vai ser avaliada só após as convenções partidárias e, pelo que tudo indica, ele terá uma dura jornada nos próximos dias, caso queira convencer os caciques da legenda abençoar a sua candidatura ao Senado.
Interlocutores, entretanto, acham a candidatura de Praciano insustentável. A direção nacional, vai colocar na balança, em primeira mão, os apoios da base aliada à candidatura Dilma e o número de palanques a ela destinados. No Rio de Janeiro a Dilma terá quatro palanques, no ceará três e se depender da garantia de 100% dada pelo governador José Melo e o candidato ao Senado pelo PSD, Omar Aziz, o Amazonas terá dois palanques para a presidente.
Conversa com Omar
Depois de se reunir coma direção do PT Amazonas, o secretário de organização Jorge Coelho, foi ter uma conversa com o candidato ao Senado, Omar Aziz, para saber dele se o apoio à presidente Dilma continua de pé. Omar confirmou.
A reunião de Omar e Jorge Coelho aconteceu no escritório da agência de publicidade do jornalista Jefferson Coronel, no Vieralves.
Jorge Coelho teve a mesma conversa com o governador José Melo, antes da Convenção do PROS, ocorrida no final da tarde no Club Charriot, na Av. Max Teixeira, Cidade Nova.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui