MP vai investigar caso de menino acorrentado dentro de barril em Campinas

Criança era mantida amarrada em barril em Campinas — Foto: Reprodução/Rede Globo/Polícia Militar

O Ministério Público (MP) informou, na manhã desta segunda-feira (1º), que vai abrir uma investigação sobre o caso do menino de 11 anos encontrado com as mãos e os pés acorrentados dentro de um barril de ferro, em Campinas (SP), na tarde de sábado (30). O pai da criança, a namorada dele e a filha dela foram presos. O homem vai responder por tortura e as duas mulheres por omissão. O garoto está internado sob a tutela de uma tia.

De acordo com o MP, o procedimento será instaurado nesta segunda pela promotora da Infância e Juventude de Campinas Andrea Santos Souza, que ainda não vai falar sobre o caso. A investigação também vai apurar até que ponto órgãos ligados à prefeitura como o Centro de Atenção Psicossocial (Caps), Centro de Referência da Assistência Social (Cras), além do Conselho Tutelar, sabiam da situação.

O Conselho Tutelar informou, no domingo (31), que já acompanhava o caso há pelo menos um ano e e vai apurar se houve falha. A Polícia Militar foi ao local após denúncia de vizinhos. A ocorrência foi registrada na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Jardim Londres. O processo vai correr em segredo de Justiça.

Ainda segundo o Ministério Público, o promotor criminal que vai ficar à frente da investigação só será definido depois que o caso for relatado pela Polícia Civil. A Promotoria vai apurar também o comportamento da família e se foram solicitadas anteriormente medidas de proteção à criança. Situações semelhantes podem ser denunciadas pelo e-mail [email protected]

Na manhã desta segunda, aconteceu uma reunião na Prefeitura de Campinas entre o prefeito, Dário Saadi (Republicanos) e os órgãos assistenciais. O chefe do Executivo solicitou que, em 24 horas, as entidades entreguem documentos sobre tudo o que já havia sido registrado sobre o caso do garoto.

Policiais que encontraram a vítima informaram que ela era alimentada com cascas de fruta. O menino estava nu, dentro de um tambor de metal fechado com uma telha e uma pia de mármore para evitar que ele saísse. O vídeo do momento em que ele é encontrado mostra que a criança mal conseguia se mexer quando foi encontrada. Ele tinha a cintura, pés e mãos acorrentados.

O menino estava há quase cinco dias sem comer, segundo a polícia. “Colocavam pra ele casca de banana, fubá cru”, relata o cabo Rodrigo Carlos da Silva.

A Polícia Civil acredita que ele estava acorrentado dentro do barril há um mês. “Desde o começo de janeiro já estava sendo preso no tambor. Ele teria que ficar em pé nessa amarração, que era feita com os braços presos em cima do tambor”, relatou o delegado Daniel Vida da Silva.

Ainda segundo a Polícia Civil, o pai disse em depoimento que o filho é muito agitado, agressivo e fugia de casa. Ele alegou que fez isso para educar o menino.

Fonte: G1

1 COMENTÁRIO

  1. Boa tarde! Se estiverssimos num país de vergonha seria explicado bem direitinho. Vivemos no Brasil, onde o pobre é sinônimo de fraqueza, pobreza, injustiça, fome, miséria, desamparo e impunidade. Os pais, não são os pais; não devo de dizer que são animais, os animais cuidam dos seus filhos, eles não. Cadeia dura para mãe e pai dessa criança. Já falando desse tal conselho tutelar, inoperante, cabide de emprego, cabo eleitorais de políticos sem postura, CNPJ perdido e sem futuro, prejuízo para os municípios, já deveriam ter sumido da estatística infantil e do adolescente. O que dizer do riquíssimo MP? Estão todos nas suas zonas de confortos, vivendo as custas da nação, comendo, bebendo do bom e do melhor. Esse sim, é um verdadeiro sugador do dinheiro público. O verdadeiro fiscal da lei, adormecido e acomodado vendo tudo passar e não reage. Essa criança é muito mais importante do que eles todos juntos. #reagepovobrasileiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui